Adrenal, insuficiência e tratamento com suplementos, erva e homeopatia

09 fev Adrenal, insuficiência e tratamento com suplementos, erva e homeopatia

Adrenal : A insuficiência ocorre pelo estresse, pois as glândulas adrenais norteiam o cortisol no organismo. Possuem funções muito importantes, como regular o metabolismo do sódio, do potássio e da água, regular o metabolismo geral pela via neuro-endócrina, dos carboidratos, regular as reações do corpo humano ao estresse e fornecerem o sinal para obtenção de energia pelo organismo.

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Adrenal”/Adrenal

Adrenal Insuficiência qualquer fator estressante crônico pode levar :
– Pode ser devido a nutrição dietética inadequada,
– sobrecarga tóxica como a toxicidade de metais,
– choque ou trauma extremo emocional, físico,
– trabalhando muito duro sem descanso suficiente,
– excesso de indulgência em estimulantes como café, chá, tabaco, narcóticos e
– desbalanço hidro-eletrolítico, ou
– desbalanço hormonal incluindo uso de hormônios, ou substâncias que interfiram no metabolismo hormonal. No entanto, a causa mais comum de Fadiga Adrenal é simples: ESTRESSE CRÔNICO!

 

Estresse e o Cortisol:

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Adrenal”/Adrenal

Estresse ainda é um tema que suscita muitas controvérsias, desde a sua definição até as suas implicações com as doenças. Por vezes, o estresse é definido como um estímulo, sendo por outras considerado como resposta desenvolvida por esse estímulo. Na realidade, a palavra estresse, em si, quer dizer “pressão”, “insistência” e estar estressado quer dizer “estar sob pressão” ou “estar sob a ação de estímulo insistente”. De fato, estressor é qualquer estímulo capaz de provocar o aparecimento de um conjunto de respostas orgânicas e/ou comportamentais, relacionadas com mudanças fisiológicas estereotípicas de padrões, que incluem a hiperfunção das Adrenais.    

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Adrenal”/Adrenal

O estresse é um processo reativo, que tem como objetivo diminuir os efeitos negativos causados pelo estressor e favorecer a adaptação a este ou às mudanças advindas da sua presença. Assim, o estado de estresse é exatamente aquele relacionado com a fase de adaptação, sendo o seu estabelecimento compatível com a liberação de cortisol (hormônio secretado pela suprarenal, adrenal), que torna o organismo hábil para responder às exigências adaptativas, graças ao equilíbrio biomolecular Adrenal.

 

Funções da Adrenal mudam com a localização:

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Adrenal”/Adrenal

O córtex produz corticoesteroides, e a medula catecolaminas. A parte mais externa (córtex) é subdividida em três camadas: glomerulosa, fasciculada e reticulada.
A camada superficial é a glomerulosa, e ela libera mineralocorticoides, dos quais o mais importante é a aldosterona.
Após a camada glomerulosa vem a fasciculada, que libera os glicocorticoides (o principal é o cortisol), que são responsáveis pelo metabolismo dos carboidratos, gorduras e proteínas no organismo.
A última camada do córtex adrenal é a reticulada, que produz hormônios androgênicos.
A liberação do ACTH (corticotropina) pela adeno-hipófise estimula a secreção dos glicocorticoides.
A estimulação da aldosterona é feita pelos níveis de angiotensina II e de potássio sérico (se o potássio está elevado, a aldosterona elimina potássio e reabsorve sódio e água).
As catecolaminas (dopamina, noradrenalina e adrenalina) são produzidas na parte medular das glândulas Adrenais.

 

Os sinais e sintomas da insuficiência Adrenal podem evoluir para:

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Adrenal”/Adrenal

– Cansaço e fraqueza incomum e crônicos
– Tonturas ao levantar-se
– Náuseas, vômitos,
– Diarreia,
– Perda de apetite,
– Dor de estômago,
– Dores articulares,
– Pele escurecida,
– Desejo de sal,
– Depressão
– Hostilidade,
– Ansiedade,
– Imunidade enfraquecida, Infecções crônicas de baixo grau,
– Lombalgia Adoecer com freqüência Hipoglicemia Fibromialgia
– Incapacidade de se concentrar, Memória fraca
– Desejos de doces
– Problemas de tireóide Sempre se sentindo frio Ganho ou perda de peso Qualquer doença crônica ou auto-imune.

 

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Adrenal”/Adrenal

Em situações de stress intenso e/ou prolongado pode surgir uma situação conhecida como Burnout adrenal. A base da fadiga adrenal ou burnout é o estresse, que ao longo do tempo pode sobrecarregar as glândulas Adrenais a ponto de causar outros problemas de saúde, tais como:
– Distúrbios do sono
– Ganho de peso
– Fadiga, depressão .
Consequências da deficiências das Adrenais: Adrenalina e a Noradrenalina Existem, na medula adrenal, dois tipos de células: umas secretam adrenalina, as outras noradrenalina. Tais hormônios são secretados em resposta à estimulação simpática. Liberados em grandes quantidades depois de fortes reações emocionais como, por exemplo, susto ou medo, estes hormônios são transportados pelo sangue para todas as partes do corpo, onde provocam reações diversas, principalmente
– constrição dos vasos,
– elevação da pressão arterial,aumento dos batimentos cardíacos etc.

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Adrenal”/Adrenal

Tais reações resultam, entre outras coisas, no aumento do suprimento de oxigênio às células. Além disso, a adrenalina, que aumenta a glicogenólise hepática e muscular e a liberação de glicose para o sangue, eleva o metabolismo celular. A combinação dessas reações possibilita, por exemplo, reações rápidas de fuga ou de luta frente a diferentes situações ameaçadoras. Ao contrário do córtex Adrenal que lança seus produtos continuamente na circulação, a medula acumula os hormônios produzidos.

 

Síndrome de Cushing:

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Adrenal”/Adrenal

Já na SÍNDROME DE CUSHING, apesar de apresentar aumento da produção de Cortisol, pode cursar com falência das demais funções da Adrenal, sendo causada pela presença de nódulo na própria glândula ou na hipófise com produção exagerada de ACTH.

 

Doença de Addison:

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Adrenal”/Adrenal

A forma mais comum de insuficiência Adrenal é a Doença de Addison.
Addison tem origem autoimune em 80% dos casos e em geral decorrente de infecção crônica não tratada da Adrenal.

 

 

Terapia com Suplementos:

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Adrenal”/Adrenal

Indicados de acordo com a avaliação clinica de cada caso e com confirmação laboratorial e ainda corroborados com a bio-ressonância para sabermos qual a opção certa em cada caso, aqui apenas alguns exemplos, ao tratamento Adrenal:
– 5-HTP,
– Ácido Pantotênico,
– Glicericina
– D,L-Fenilalanina
– L-Tirosina
– Licorice,
– Vitamina C,
– Zinco Quelado,
– Ginseng,
– Cobre Quelado,
– Mucuna,
– Zinco, ou Mg,
pois reações ao estresse esgotam zinco e magnésio e você precisa de zinco e magnésio, a fim de se manter a calmo(a) e não ficar estressado(a) o tempo todo. Reações de estresse podem resultar em uma propensão para ainda mais stress. Verificar e corrigir presença de metais tóxicos, entre outros o cobre. Mais e mais cobre é exigido para libertação de aldosterona.

 

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Adrenal”/Adrenal

Amino-ácidos como Leucina, Isoleucina e Valina, bem como vitaminas – C, – D, – E e – B6 podem se esgotar facilmente em situações de estresse.
A resposta inicial a qualquer estresse é a hipersecreção de cortisol, mas ao longo do tempo (aproximadamente um ano), desenvolve um feedback negativo e uma verdadeira “fadiga”, causando redução dos níveis de DHEA-S e cortisol.
O resultado final é um organismo com imunidade reduzida, com aumento da probabilidade de doença auto-imune, ataques cardíacos, níveis elevados de colesterol e triglicérides, doenças de pele, a compulsão por carboidratos, proteínas emagrecimento, fadiga e depressão (para citar apenas alguns).
A DHEA-S diminui, o nível de aumento de homocisteína, com uma diminuição concomitante da maioria das vitaminas B, mas especialmente folato, vitamina B12, D3, K2, ômega-3, DHA e EPA..

 

 

Demais Tratamentos (Técnicas Complementares):

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Adrenal”/Adrenal

Existem inúmeros relatos clínicos e dados científicos de melhora da evolução de quadros de insuficiência Adrenal, através da associação da homeopatia e acupuntura, devendo ser usadas somente sob a supervisão, e/ou consulta de um profissional de saúde qualificado.
Claro que essas e demais possibilidades devem antes ser checadas através de dados clínicos, anamnese completa, além de exames complementares, podendo incluir o eletro-escaneamento, microscopia e a bio-ressonância, para termos certeza das melhores opções terapêuticas.
E também sem nos esquecermos dos fatores predisponentes, ou desencadeantes que levaram a este quadro clínico, o que pode requerer o acompanhamento de especialistas.
Assim como em qualquer doença crônica vale a pena lembrar a importância de cuidarmos do Sono, da Alimentação, da Atividade Física, dos Fatores pH, do Eixo e mesmo da Sexualidade.

 

Agende uma consulta!

Entre em contato conosco nos seguintes telefones: 3889-0273/5549-7651 ou se preferir, mande um e-mail para clement.hajian@gmail.com

 

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Adrenal”/Adrenal

Referências:
http://orthomolecular.org/nutrients/vitamins.shtml
http://orthomolecular.org/nutrients/proteins.shtml
http://www.susansolomonmd.com/adrenal_article.html
http://orthomolecular.org/nutrients/micronutrients.shtml
http://orthomolecular.org/nutrients/fats.shtmlhttp://pt.slideshare.net/hectorfranc/addisons-disease-10473840
(Websites acessados em 15-7-2013 às 20:00hs).

 

Sem Comentários

Deixe um Comentário