Fibromialgia & Fadiga crônica: qual seria o elo perdido?

30 abr Fibromialgia & Fadiga crônica: qual seria o elo perdido?

Fibromialgia é uma doença que está associada a dor generalizada, rigidez e fadiga, e se origina nos músculos e tecidos moles.   Reconhecido pelo CID desde 1988, é também chamado de Síndrome da Disfunção da Fadiga Crônica e Imune (SDFCI).

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”fibromialgia”/fibromialgia

Fibromialgia é caracterizada pelos seguintes acometimentos:
– Fadiga extrema
– Dores musculares e articulares
– Fraqueza muscular
– Dores de cabeça crônicas
– Glândulas inchadas, indicando infecção
– Febres periódicas e calafrios
– Garganta inflamada
– Dormência e formigamento das extremidades
– Incapacidade de lidar com todo o stress
– Disfunção cognitiva
– Insônia

 

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”fibromialgia”/fibromialgia

Lesão – Uma lesão ou trauma, particularmente na região da coluna superior, pode provocar o desenvolvimento de fibromialgia em algumas pessoas. Há uma grande relação de pessoas que apresentam sintomas de fadiga crônica, depressão e dores musculares e articulares. Diagnóstico diferencial da fibromialgia inclui:
– síndrome de fadiga crônica,
– infecções virais ou em recuperação de infecções virais,
– deficiências nutricionais,
– disfunção imunológica,
– baixa de oxigênio,
– problemas intestinais,
– toxicidades de metais, ou sensibilidade química podem todos mostrar sintomas de fadiga crônica, depressão e dores musculares e articulares.

 

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”fibromialgia”/fibromialgia

Na Fibromialgia, além de termos de descobrir a origem da dor, os fatores predisponentes devem ser sanados, para evitarmos a progressão da cronicidade. Daí a importância da avaliação clínica, laboratorial e corroborados pela Bio-ressonância para o correto diagnóstico e tratamentos.

 

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”fibromialgia”/fibromialgia

A termografia pode localizar os Tiger Points, que estabelecem o Diagnóstico da Fibromialgia.

 
<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”fibromialgia”/fibromialgia

Em 1990, o American College of Rheumatology resumiu os critérios para a classificação da fibromialgia. Definiram que há 18 pontos no corpo. Para ser diagnosticado como portador(a) de fibromialgia a pessoa deve sentir dor – não apenas ter sensibilidade – em pelo menos 11 dos 18 pontos dolorosos quando estes forem pressionados. Os pontos sensíveis da fibromialgia são simétricos; ocorrem dos dois lados do corpo. As localizações dos pontos dolorosos são:
– Laterais inferiores frontais do pescoço
– Parte superior do tórax
– Parte interna dos cotovelos
– Logo acima da parte interna dos joelhos
– Nuca
– Alto dos ombros
– Alto das costas (omoplatas)
– Acima das nádegas
– Quadris

 

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”fibromialgia”/fibromialgia

Uma vez que são detectados os Pontos de dor da Fibromialgia, podemos estabelecer também quais órgãos internos podem estar acometidos, ou deficientes.

 

INFECÇÕES ESPECÍFICAS

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”fibromialgia”/fibromialgia

Por décadas, Dr. Crook trabalhou demonstrando haver conexão da Fibromialgia com candidíase sistêmica, apesar disto não ter tido apoio oficial. Existem por outro lado autores que avaliaram laboratorialmente, · constatando a presença de múltiplas infecções incluindo mycoplasma, em ambas as condições. · Em vista dos resultados com infecções em condições crônicas de modo geral, tenho detectado a participação de agentes infecciosos variados principalmente candidíase e mycoplasma, mas tendo ótima evolução através da associação da clínica, exames complementares e biorressonância para administrar suplementos, alimentos, homeopatia e ervas.

 

Terapia com Suplementos – Fibromialgia:

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”fibromialgia”/fibromialgia

Indicados de acordo com a avaliação clinica de cada caso, exames complementares e ainda corroborados com a bio-ressonância para sabermos qual a opção certa em cada caso, aqui apenas alguns exemplos, com dosagens variáveis para cada caso:
– Moduladores de sono:
– L-triptofano (1.500 mg por dia), 5-HTP (100mg 3x/d), & Hypericum perforatum (300 mg 3x/d)
– Melatonina de 3 a 10 mg antes de dormir
– Aloe vera & Yam mexicano
– Dolomita homeopaticamente dinamizada
– Cálcio, fosfato, magnésio quelatos, ou dinamizados
– Vitaminas D3, B12, Ác. fólico, E
– NAC, DMSO, MSM
– Clorela, espirulina
– Adpatogênicos: Rhodiola rosea e Panax ginseng (600 mg de cada)
– Restabelecimento do ATP mitocondrial: Malato de magnésio, Ác. málico (magnésio 300-600mg e 1200-2400 miligramas de ácido málico)
– Creatina, mono-hidrato, 5 gr ao dia
– Coenzima Q10 300 mg por dia
– Valeriana, & Melissa of. (180 e 90 mg ao deitar)
– Anti-inflamatórios à base de plantas: officinale Guaiacum, Boswellia serrata, Tanacetum parthenium e Cimicifuga racemosa
– Ascorbigen (VitaminaC com indol-3-carbinol) & brócolis pó
– BCAAs
– Fosfato de potássio·
Suplementos para problemas digestivos e náuseas que muitas vezes acompanham SDFCI, incluem os probióticos, enzimas digestivas e gengibre · Suplementos para depressão e ansiedade·

 

Demais Tratamentos (Técnicas complementares):

 

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”fibromialgia”/fibromialgia

Existem inúmeros relatos clínicos e dados científicos de melhora da evolução da Fibromialgia através da associação da homeopatia e acupuntura, entre outros Phosphorus, Magnesia carbonica, Camomila, Sepia, Nux-vomica e demais a serem detectados.
Claro que essas e demais possibilidades devem antes ser checadas através de dados clínicos, anamnese completa, além de exames complementares, podendo incluir o eletro-escaneamento, microscopia e a bio-ressonância, para termos certeza das melhores opções terapêuticas. E também sem nos esquecermos dos fatores predisponentes, ou desencadeantes que levaram a este quadro clínico, o que pode requerer o acompanhamento de demais especialistas.
Assim como em qualquer doença crônica vale a pena lembrar a importância de cuidarmos do Sono, da Alimentação, da Atividade Física, dos Fatores pH, do Eixo e mesmo da Sexualidade.

 

 

Agende uma consulta!

Entre em contato conosco nos seguintes telefones: 3889-0273/5549-7651 ou se preferir,
mande um e-mail para clement.hajian@gmail.com

 

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”fibromialgia”/fibromialgia

Referências:
http://orthomolecular.org/nutrients/vitamins.shtml http://orthomolecular.org/nutrients/proteins.shtml
i Juhl JH. Fibromyalgia and the serotonin pathway. Alternative medicine review. 1998; 3(5):367-75. ii Puttini PS, Caruso I. Primary fibromyalgia syndrome and 5-hydroxy-L-tryptophan: a 90-day open study. J Int Med Res 1992; 20(2):182-9.
iii Byerley WF, Judd LL, Reimherr FW, Grosser BI. 5-Hydroxytryptophan: a review of its antidepressant efficacy and adverse effects. J Clin Psychopharmacol 1987; 7 (3): 127-37.
– http://orthomolecular.org/nutrients/fats.shtml
– http://orthomolecular.org/nutrients/micronutrients.shtml
– WEBSITES acessados em 14-2-2016 às 16:00hs

 

 

Sem Comentários

Deixe um Comentário