Hipertensão Arterial e tratamento com suplementos, homeopatia e ervas

15 fev Hipertensão Arterial e tratamento com suplementos, homeopatia e ervas

Hipertensão, define-se quando a pressão, medida várias vezes em consultório médico, é igual ou maior de 120 mmHg na máxima, e/ou igual ou maior a 80mmHg de mínima , normalmente diz-se 120 por 80 como sendo a pressão ideal, ou simplesmente 12 por 8. 

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Hipertensão”/Hipertensão

Hipertensão é um tipo de doença vicariante, na medida em que uma vez instalada, ocorre a resposta muscular de todo sistema circulatório, incluindo o coração e isso se agrava com a idade, pois há a tendência para a arterioesclerose e risco de ruptura arterial.
Demais fatores de risco:
– Obesidade;
– Consumo exagerado de sal, álcool, ou cafeína;
– Sedentarismo;
– Má alimentação;
– Tabagismo;
– Insuficiência de vitamina D;
– Acúmulo de metais tóxicos, ou flúor;
– Insônia
– Stress

 

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Hipertensão”/Hipertensão

– Ocorre mais frequentemente porque, os vasos nos quais o sangue circula se contraem e fazem com que a pressão do sangue se eleve.


Hipertensão e complicações:

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Hipertensão”/Hipertensão

Fatores arteriais intrínsicos desempenham papéis importantes na gênese da hipertensão e sua etiologia depende de uma série de regulagens bioquímico-moleculares, além do fator psíquico-emocional. Os remédios alopáticos são meros sintomáticos para tratamento da hipertensão, pois agem no organismo tentando controlar artificialmente a pressão.
Claro, o ideal é manter a pressão abaixo de 13 por 8. Mas, o uso dos remédios químicos acaba sendo contínuo, diário, nas doses etc, na medida em que não há atuação na causa … É importante lembrar que é a pressão alta não tratada que pode levar ao enfarto, ao derrame e pode causar inclusive impotência sexual.

 

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Hipertensão”/Hipertensão

Na hipertensão arterial, a presença de um tipo específico de Radical Livre nas arteríolas constitui-se num fator de proteção, conhecido como peróxido nítrico possui a propriedade de promover o relaxamento arteriolar.
Devemos ainda considerar o stress crônico com comprometimento do eixo hormonal e alteração eletrolítica, podendo-se constatar ser um quadro de hipertensão essencial ou mesmo obesidade.
Seja qual for o mecanismo, é necessário o uso de medicamentos específicos, dando-se preferência para os quelantes orais, drenantes homeopáticos, ou ainda compostos sulfúreos.
Deve-se observar as alterações pressóricas, juntamente com o aparelho digestório, a disbiose que pode ser o fator determinante de desequilíbrio orgânico, já o estudo do mineralograma, por exames complementares e biorressonância permitem um ajuste metabólico mais fino.

 

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Hipertensão”/Hipertensão

Ao mesmo tempo em que se avaliam e se corrigem os parâmetros citados, devemos nos lembrar que a produção de peróxido nítrico é dependente de arginina, ácido fólico, vitamina C, nível oxidativo e magnésio. Que sua produção é inversamente proporcional à concentração de ferro, e portanto, se faz necessário a verificação da concentração da ferritina. O aumento da ferritina sérica é comum em homens com hipertensão essencial.

 

Evidências científicas : – Hipertensão & Terapia de quelação :

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Hipertensão”/Hipertensão

Geralmente em combinação com vitaminas, oligoelementos e suplementos são usuais . Vários estudos suportam que a quelação pode ser considerada uma terapia adjuvante útil para o tratamento da disfunção renal e da hipertensão relacionadas.
A quelação pode ser com ervas, alimentos, ou suplementos.
Evite se houver doença cardíaca, doença hepática, doença renal , distúrbios do sistema imunológico , distúrbios hemorrágicos ou se tomar medicamentos que aumentam o risco de hemorragia.
Evite se estiver grávida ou amamentando , devido aos potenciais efeitos tóxicos.
– Coenzima Q10 (CoQ10)
Existem evidências de que o suplemento de CoQ10 pode ajudar a reduzir a pressão sanguínea elevada.

 

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Hipertensão”/Hipertensão

Um ensaio de 12 semanas, duplo-cego, controlado por placebo de 83 pessoas com hipertensão sistólica examinou o efeito de suplementos de CoQ10 (60 mg duas vezes ao dia).
Após as 12 semanas, verificou-se uma redução média na pressão sanguínea sistólica de 17,8 mmHg no grupo tratado com CoQ10.
Outro estudo realizado na Universidade da Austrália Ocidental analisou o efeito de CoQ10 sobre a pressão arterial e controle glicêmico em 74 pessoas com diabetes tipo 2.
Utilizou-se 100 mg duas vezes ao dia CoQ10, com 200mg do fenfibrato, ambos, ou nenhum por 12 semanas.
CoQ10 reduziu significativamente pressão arterial sistólica e diastólica (redução média 6,1 milímetros Hg e 2,9 mmHg, respectivamente).
Houve também uma redução da HbA1c, um marcador para controle glicêmico a longo prazo.

 

 Terapia com Suplementos:

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Hipertensão”/Hipertensão

Indicados à Hipertensão a partir de dados obtidos pela clínica, exames complementares e corroborados pela bio-ressonância.
Aqui apenas alguns exemplos:
– vitamina E,
– ácido lipóico,
– glutationa ,
– cisteína,
– CoQ10,
– niacina,
– ácido pantotênico,
– taurina,
– L- Arg e L-Citrulinac
– ômega 3
– Antioxidantes
– Aumento do potencial zeta, com sais zeta
– Magnésio quelato
– Pfafia paniculata
– Gigko biloba e muitas outras ervas e orientações alimentares
– Eliminar metais tóxicos e flúor e tratar a reposição sulfúrea, com demais amino-ácidos ou flavonóides específicos, fenfibrato, ou ainda sulfato de zinco.

 

Demais Tratamentos (Técnicas complementares):

<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Hipertensão”/Hipertensão

Existem inúmeros relatos clínicos e dados científicos de melhora da evolução de Hipertensão através da associação da homeopatia e acupuntura.
Claro que essas e demais possibilidades devem antes ser checadas através de dados clínicos, anamnese completa, além de exames complementares, podendo incluir o eletro-escaneamento, microscopia e a bio-ressonância, para termos certeza das melhores opções terapêuticas. E também sem nos
esquecermos dos fatores predisponentes, ou desencadeantes que levaram a
este quadro clínico, o que pode até requerer o acompanhamento de demais
especialistas.
Assim como em qualquer doença crônica vale a pena lembrar a importância de cuidarmos do Sono, da Alimentação, da Atividade Física, dos Fatores pH, do Eixo e mesmo da Sexualidade.

 

Agende uma consulta!

Entre em contato conosco nos seguintes telefones: 3889-0273/5549-7651 ou se preferir,
mande um e-mail para clement.hajian@gmail.com
 

 
<imgsrc=”http://http://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”Hipertensão”/Hipertensão

Referências:
http://orthomolecular.org/nutrients/vitamins.shtml
http://orthomolecular.org/nutrients/micronutrients.shtml Michel DM , Kelly CJ . Nefrite intersticial aguda . J Am Soc Nephrol 1998; 9:506-15 . – Canal Nefrologia . Nefrite intersticial aguda (AIN ) . . Acessado em 11 de maio, 2009 .
– Padrão Natural : A Autoridade em Medicina Integrativa . Copyright © 2009.
Acessado em 11 de maio, 2009 – Journal of Hypertension: August 2002 – Volume 20 – Issue 8- pp 1513-1518http://library.thinkquest.org/24206/orthomolecular-medicine.html – http://altmedicine.about.com/cs/herbsvitaminsek/a/Hypertension.htm (acessado em 26-2-14 20:24hs)
– http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2009/12/15/How-You-Can-Normalize-Your-Blood-Pressure-Without-Drugs.aspx (acessado em 26-2-14 20:24hs)
– http://orthomolecular.org/nutrients/proteins.shtml
http://orthomolecular.org/nutrients/fats.shtml
– Acessados em 22-3-2015 às 15:00hs

 

 
Sem Comentários

Deixe um Comentário