Metais Tóxicos – Tratamento Natural

16 set Metais Tóxicos – Tratamento Natural

O termo metal tóxico refere-se a qualquer elemento químico metálico que possui uma densidade relativamente alta e é tóxico ou venenoso em baixas concentrações. Exemplos de metais tóxicos ​​incluem mercúrio (Hg), cádmio (Cd), arsênico (As), cromo (Cr), tálio (Tl), chumbo (Pb), Alumínio (Al), Berílio (Be), Bario (Ba) entre outros.

 

<imgsrc=”http://https://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”metal”/metal

Como oligoelementos, alguns metais tóxicos ​​(por exemplo, cobre, selênio, zinco) são essenciais para manter o metabolismo do corpo humano. No entanto, em concentrações mais altas, eles podem levar ao envenenamento. O envenenamento por metais tóxicos ​​pode resultar, por exemplo, de contaminação da água potável (por exemplo, tubos de chumbo), altas concentrações de ar ambiente perto de fontes de emissão ou ingestão via cadeia alimentar.Os metais tóxicos ​​são perigosos porque tendem a se bioacumular. Bioacumulação significa um aumento na concentração de um produto químico em um organismo biológico ao longo do tempo, em comparação com a concentração do produto químico no ambiente. Os compostos se acumulam nos seres vivos sempre que são recolhidos e armazenados mais rapidamente do que são decompostos (metabolizados) ou excretados. Os metais tóxicos ​​podem entrar no suprimento de água pelos resíduos industriais e de consumo, ou mesmo pela chuva ácida, que quebra os solos e libera metais tóxicos ​​em córregos, lagos, rios e águas subterrâneas, mas também pelas panelas e alimentos.

 

<imgsrc=”http://https://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”metal”/metal

Embora os metais tóxicos ​​sejam elementos naturais encontrados em toda a crosta terrestre, a maior parte da contaminação ambiental e da exposição humana resultam de atividades antropogênicas, como operações de mineração e fundição, produção e uso industrial e uso doméstico e agrícola de metais e compostos que contêm metais.Foi relatado que metais como cobalto (Co), cobre (Cu), cromo (Cr), ferro (Fe), magnésio (Mg), manganês (Mn), molibdênio (Mo), níquel (Ni), selênio ( Se) e zinco (Zn) são nutrientes essenciais necessários para várias funções bioquímicas e fisiológicas. O suprimento inadequado desses micronutrientes resulta em uma variedade de doenças ou síndromes por deficiência.                         

                                             Intoxicação por Mercúrio

 

A contaminação do organismo por mercúrio geralmente provoca sinais como:
Náuseas e vômitos;
Diarreia constante;
Sensação frequente de ansiedade;
Tremores;
Aumento da pressão arterial.
A longo prazo, a intoxicação por este tipo de metal pode também causar problemas nos rins e cérebro, assim como, alterações na visão, audição e problemas de memória.
As fontes de contaminação mais comuns por mercúrio incluem águas contaminada, contato direto com mercúrio, contato com o interior das lâmpadas e pilhas e alguns tratamentos dentários. Assim, boas formas para evitar a contaminação por mercúrio consistem em não consumir água e alimentos que pareçam estar contaminados, assim como trocar todos os objetos que possuem mercúrio na sua composição, especialmente termômetros e lâmpadas antigas.

Intoxicação por Arsênio

Já o arsênio é um tipo de metal tóxico que pode provocar o surgimento de:
Náuseas, vômitos e diarreia severa;
Dor de cabeça e tonturas;
Alteração do ritmo cardíaco;
Formigamento constante nas mãos e pés.
Estes sintomas podem aparecer em até 30 minutos. Porém quando as quantidades são muito baixas, este metal vai se acumulando lentamente no corpo e, nesses casos, existe também um risco muito aumentado de câncer na pele, pulmões, fígado ou bexiga.
O arsênio pode ser encontrado em tintas, corantes, medicamentos, sabonetes, assim como fertilizantes e pesticidas. Além disso, o arsênio também pode ser encontrado na água de poços privados que não são testados e desinfectadas regularmente pela Companhia de água e esgotos.
Para evitar a contaminação por arsênio é aconselhado não utilizar materiais que contenham este tipo de metal na sua composição e evitar ingerir alimentos com corantes ou água não tratada.

Intoxicação por Chumbo

A intoxicação por chumbo é muitas vezes difícil de identificar, sendo que até pessoas aparentemente saudáveis podem ter níveis elevados de chumbo no organismo. No entanto, à medida que vai se acumulando no corpo, o chumbo parece causar:
Dor nas articulações e músculos;
Aumento da pressão arterial;
Dor abdominal constante;
Dificuldades de memória e concentração;
Anemia sem causa aparente.
Em casos mais graves pode ainda haver desenvolvimento de problemas nos rins, cérebro e, até, aborto em mulheres grávidas ou infertilidade nos homens.
O chumbo pode ser encontrado em todo o ambiente, incluindo ar, água e solo, pois é um metal muito utilizado pela indústria para fazer objetos como pilhas, canos de água, tinta ou gasolina, por exemplo. Para evitar a contaminação por chumbo é importante evitar ter em casa objetos com este tipo de metal, especialmente na canalização ou nas tintas das paredes.

Intoxicação por Bário

O bário é um tipo de metal metal tóxico que não provoca o surgimento de câncer, no entanto, pode causar sintomas como:
Vômitos;
Cólicas abdominais e diarreia;
Dificuldade para respirar;
Fraqueza muscular;
Aumento da pressão arterial.
As fontes de contaminação por bário incluem alguns tipos de lâmpadas fluorescentes, fogos de artifício, tintas, tijolos, peças de cerâmica, vidro, borracha e, até, alguns exames de diagnóstico. Para evitar a contaminação com este metal uma das dicas mais importantes consiste em evitar frequentar locais de construção sem máscara de proteção para evitar inalar ou ingerir poeira contaminada com bário.

Intoxicação por Cádmio

A ingestão de cádmio pode provocar:
Dor de estômago;
Náusea e vômitos;
Diarreia.
Ao longo do tempo, a ingestão ou inalação deste metal pode ainda causar doenças nos rins, problemas nos pulmões e enfraquecimento dos ossos.
O cádmio está presente em todos os tipos de solo ou pedras, assim como no carvão, fertilizantes minerais, pilhas e plásticos de alguns brinquedos. Para evitar a contaminação por cádmio é recomendado não utilizar materiais que contenham este tipo de metal na sua composição e evitar fumar, pois o cigarro possui carvão que facilita o contato entre o cádmio e os pulmões.

Intoxicação por Cromo

A principal forma de intoxicação por cromo acontece devido à inalação. Quando isso acontece podem surgir sintomas como: Irritação no nariz; Dificuldade para respirar; Asma e tosse constante. Já a longo prazo, podem surgir lesões permanentes no fígado, rins, sistema circulatório e pele. O cromo é utilizado para fazer objetos em inox, cimento, papel e borracha e, por isso, pode ser facilmente inalado em locais de construção ou durante a queima de papel ou borracha, por exemplo. Para evitar a contaminação por cromo deve-se frequentar locais de construção apenas com máscara e evitar fazer queima de papel ou borracha.

A intoxicação por Tálio

É uma das toxicidades mais complexas e graves conhecidas. A sintomatologia de sua toxicidade é geralmente inespecífica devido ao envolvimento de múltiplos órgãos. Os sintomas iniciais da intoxicação por tálio podem incluir:
Febre,
Problemas gastrointestinais,
Delírio,
Convulsões,
Coma.
Os sintomas podem aparecer rapidamente, mas mais comumente a toxicidade aguda diminui e é substituída por um desenvolvimento gradual de distúrbios:
Gastrointestinais leves,
Polineurite,
Encefalopatia,
Taquicardia,
Erupções cutâneas,
Estomatite, alterações atróficas da pele,
Alterações nas unhas (linhas de Mee)
Pele hiperestesia (principalmente nas solas dos pés e na tíbia).
Alterações degenerativas do:
Coração,
Fígado,
Rim,
Hemorragia subarcanóide,
Depressão da medula óssea,
Aumento da radiopacidade do fígado também podem ocorrer.
O desenvolvimento de comportamento psicótico com alucinações e demência também foi relatado.

Intoxicação por Alumínio

 

A exposição a altos níveis de alumínio pode levar a uma toxicidade potencialmente prejudicial. A velhice e a função renal reduzida são dois fatores de risco mais comuns associados ao envenenamento por alumínio. Segundo um artigo publicado no Medscape.com, a toxicidade do alumínio é comumente encontrada em pacientes com insuficiência renal. A hemodiálise a longo prazo também está ligada ao aumento das chances de intoxicação por alumínio, pois o tratamento pode levar ao acúmulo de metais pesados ​​no corpo. Os sintomas da toxicidade do alumínio podem incluir o seguinte:
Anemia,
Absorção de ferro prejudicada,
Fraqueza muscular,
Convulsões,
Imunidade prejudicada.
A toxicidade do alumínio também é desencadeada:
Dor no osso,
Fraturas não cicatrizantes,
Deformidades da coluna vertebral,
Osteoporose prematura.
Outros sintomas mais importantes da toxicidade do alumínio incluem:
Atraso no crescimento em crianças,
Estado mental alterado,
Demência.
O metal tóxico é encontrado praticamente em toda parte: comida, água, ar e até solo. Isso torna inevitável a exposição ao alumínio para a maioria das pessoas.

Intoxicação por Berilio

Geralmente associado à exposição a níveis de berílio iguais ou superiores a 100 μg / m3:
Produz tosse intensa,
Dor de nariz
Garganta,
Perda de peso,
Respiração difícil,
Anorexia
Fadiga aumentada.
Além da toxicidade do berílio quando inalado, quando colocado em contato com a pele em doses relativamente baixas, o berílio pode causar irritação local e dermatite de contato, e o contato com a pele raspada ou cortada pode causar erupções cutâneas ou úlceras. O pó ou pó de berílio pode irritar os olhos.
O envenenamento agudo por berílio duplica aproximadamente o risco de câncer de pulmão. O mecanismo pelo qual o berílio é cancerígeno não é claro, mas pode ser devido à ligação do berílio iônico aos ácidos nucleicos; não é mutagênico.

O que se deve fazer

Para reduzir as chances de consumir elementos tóxicos através de alimentos processados, certifique-se de que 1/3 da sua dieta seja comida crua.
Alimentos locais, sazonais e orgânicos são mais eficazes quando se trata de combater a toxicidade de metais.
Alimentos ricos em vitamina C e E, também conhecidos como antioxidantes, devem ser consumidos mais para diminuir os sintomas causados por intoxicação por metais tóxicos. Alimentos fermentados também são benéficos.
Panelas de ferro fundido, esmalte e vidro são melhores para cozinhar alimentos, a fim de evitar a contaminação por metais pesados nos alimentos.

O que não se deve fazer

Delicie-se com hábitos pouco saudáveis, como fumar ou mascar tabaco – ativos e passivos; aumenta o envenenamento por cádmio.
Use bórax ou ácido bórico como um pesticida de jardim.

Terapia com Suplementos:

<imgsrc=”http://https://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”metal”/>metal

Indicados a partir de dados obtidos pela clínica, exames complementares e corroborados pela bio-ressonância. Em relação a interação entre suplementos e metabolismo cerebral constatamos haver as seguintes substâncias que podem tratar:       – Vitamina B3 (niacina ou niacinamida),                                                                           – Vitamina B6 (piridoxina),                                                                                               – Vitamina C                                                                                                                     – Vitamina B12 (cobalamina),                                                                                           – Demais vitaminas do complexo B                                                                                  – Omega-3 Essencial deficiência de ácidos graxos.                                                           – GABA                                                                                                                           – 5-HTP                                                                                                                           – Theanina,                                                                                                                       – D L                                                                                                                                 – Fenilalanina                                                                                                                    – Cromo,                                                                                                                           – Manganês,                                                                                                                      – Selênio                                                                                                                          – Zinco Distúrbios minerais por Excessos, que são passíveis de eliminação:                                                                                                                        – Alumínio,                                                                                                                       – Chumbo,                                                                                                                       – Mercúrio,                                                                                                                        – Cádmio,                                                                                                                          – Flúor Ocasionando alergias cerebrais                                                                             – Comida (frituras)                                                                                                            – Glúten                                                                                                                            – Inalantes                                                                                                                        – Aditivos alimentares.

Demais Tratamentos (Técnicas Complementares):

<imgsrc=”http://https://www.criesaude.com/imagem.gif”alt=”metal”/>metal

Existem inúmeros relatos clínicos e dados científicos de melhora da evolução de quadros de ansiedade e estresse, através da associação da homeopatia e acupuntura, devendo ser usadas somente sob a supervisão. Entre outras podemos citar: Camomila, Lavanda, Chá verde, Lúpulo, alcachofra, Valeriana, Menta, Passiflora, Kava-kava. Claro que essas e demais possibilidades devem antes ser checadas através de dados clínicos, anamnese completa, além de exames complementares, podendo incluir o eletro-escaneamento, microscopia e a bio-ressonância, para termos certeza das melhores opções terapêuticas. E também sem nos esquecermos dos fatores predisponentes, ou desencadeantes que levaram a este quadro clínico, o que pode requerer o acompanhamento de demais especialistas.
Assim como em qualquer doença crônica vale a pena lembrar a importância de cuidarmos do Sono, da Alimentação, da Atividade Física, dos Fatores pH, do Eixo e mesmo da Sexualidade.

Agende uma consulta!

Entre em contato conosco nos seguintes telefones: 3889-0273/5549-7651 ou se preferir, mande um e-mail para clement.hajian@gmail.com

 

 

   #Criesaude